O paisagismo carioca desde Glaziou até Burle Marx

O acervo guarda o modo de projetar praças importado da Europa e que foi disseminado por todo o país. Em termos de paisagismo urbano, grande parte do que se fez no Brasil foi inspirado no que se fazia no Rio de Janeiro ao longo dos séculos XIX e XX. Os documentos são compostos por desenhos onde estão figurados os elementos projetados que compõem a paisagem construída da cidade.

Destacam-se entre outros, os projetos do Campo de Santana, Quinta da Boa Vista e Passeio Público de autoria do arquiteto francês Auguste François Marie Glaziou, que trabalhou para a corte do Império Brasileiro e foi primeiro diretor da FPJ e os projetos do Parque do Flamengo e da Praça Senador Salgado Filho, de autoria do paisagista Roberto Burle Marx, criador da linguagem do paisagismo brasileiro, internacionalmente reconhecido.